MegaMini tutorial para Mac newbies – produtividade

VN:RO [1.9.11_1134]
sexta-feira, 6 d novembro d 2009
Por Eduardo Russo, Coop10. Siga no Twitter

Dos aspectos que geralmente são falados sobre a “superioridade” do Mac OS X, como segurança (há controvérsias) e estabilidade (fato) do Mac OS X, o aspecto que realmente me faz escolhe-lo dentre todos os outros SOs, são questões relacionadas à sua interface.

Algo que nada tem a ver com o kernel do sistema ou com sua base em Unix. Coisas que que muitos chamam de “firula” ou eye candy, eu chamo de melhoria na produtividade, facilidade de uso e permitir que você se foque no que é importante: usar o computador como uma ferramenta, um meio,  e não um fim.

Teclas de atalho

No site da Apple, existe uma página com todas os possíveis atalhos de teclados, mas para um usuário novato, é difícil encontrar o que se está procurando, então vou colocar o que uso no meu dia a dia e que melhora minha produtividade no OS X.

Os Fs

Se você comprou um Mac novo, provavelmente suas teclas de função já vem com ícones auto explicativos sobre sua primeira funcionalidade no centro da tecla. A segunda é como tecla de função e para funcionar assim, deve-se apertar a tecla fn junto – do lado do DELETE nos teclados grandes e abaixo do SHIFT ESQUERDO nos pequenos.

F1 e F2 – diminui e aumenta o brilho da tela
F3 – Ativa o Exposé para todos aplicativos
F4 – Widgets
F7, F8 e F9 – volta, play/pause e avança músicas no iTunes e filmes no QuickTime
F10, F11 e F12 – mute, diminui volume e aumenta volume
Tecla ao lado do F12 – ejeta CDs

Abrindo programas

O Spotlight é seu melhor amigo! Pressione CMD+ESPAÇO para abri-lo. Digite, por exemplo “pref” e em segundos poderá acessar as preferências do sistema! Isso faz você não precisar encher seu dock com milhares de programas, mas apenas alguns mais importantes.

Bem mais amigo que o cachorro do Windows XP!

Bem mais amigo que o cachorro do Windows XP!

Dock

O Dock é o lugar onde você deve deixar os programas que mais usa, já que, para qualquer outro, você tem a opção de usar o Spotlight facilmente.

Para colocar um programa no Dock, basta arrastá-lo para cima dele. Para tirar, jogue “para fora”. Quer saber onde está um programa ou pasta do Dock?  Segure CMD e clique nele!

Clicando com o botão direito em um ícone no Dock, você tem algumas opções básicas para todos os programas e algumas específicas (como no iTunes, por exemplo).

Opções básicas do dock

Opções básicas do dock

Uma outra dica em relação ao Dock é colocar “separadores” para agrupar tipos específicos de aplicativos. Isso te ajuda a organizar seus programas do Dock. Para saber mais, dê uma olhada nesse post.

Falarei um pouco mais dessa opção de Abrir no Início da Sessão daqui a pouco.

Preferências do Sistema

Preferências do sistema (ou System Preferences) é o similar ao Painel de Controle do Windows.

Inclusive, se você vem do Windows, pode buscar o que você quer alterar lá usando o nome que você conhecia no windows e ele vai filtrando e te mostrando onde isso fica!

FireWall ou FireWire… termine a busca e ele te mostra onde configurar.

FireWall ou FireWire… termine a busca e ele te mostra onde configurar.

Abrindo djá

Agora que você conhece as Preferências do Sistema, vamos começar a usá-la.

Para abrir programas logo quando liga o computador, você pode usar a opção Abrir no Início da Sessão do Dock, é o jeito mais fácil e que fica bem na sua cara, mas, nem todo programa roda como um programa, mas sim como um serviço – o Dropbox e o Google Notifier são exemplos disso.

Para alterar isso, abra as Preferências do Sistema e vá em Contas.

Contas fica aqui!

Contas fica aqui!

Depois de entrar em Contas, clique na aba Itens Login. Basta clicar no + e adicionar o programa que deseja iniciar junto com o SO. Ah, se você não descobriu ainda, o lugar de programas no OS X é o diretório Aplicativos e ele, por padrão, já está nos ítens de acesso rápido do Finder.

O seu botão + não ficará vermelho, mas clique nele mesmo assim!

O seu botão + não ficará vermelho, mas clique nele mesmo assim!

Entendendo e configurando suas janelas do Finder

Antes de tudo, vamos entender uma janela do Finder.

Cada um no seu quadrado!

Cada um no seu quadrado!

Começando pelos Modos de Visualização, existem quatro formas de navegar pelo Finder: ícones, listas, colunas e Cover Flow.

Ícones e listas, você já deve conhecer de outros SO. Cover Flow é lindão e mostra ícones gigantescos pra agradar seus olhos, mas é a visualização por colunas que realmente ajudam na produtividade. Para usar essa forma de visualização, basta clicar no ícone dela (o terceiro)! Se você deixar o mouse em cime da cada um dos ícones por um tempo, o OS X te fala quem é quem.

Caso esteja num diretório e o acima dele não esteja acessível pelo scrooll, basta usar a combinação CMD+cima para ir para o diretório superior.

A Barra de Ferramentas pode ser alterada com os programas úteis em uma janela do Finder. Você pode adicioná-los arrastando e soltando e reorganizá-los clicando com o botão direito e indo em Personalizar Barra de Ferramentas… Para retirar, clique com o botão direito e depois em Remover Item. Deixo aí, por exemplo, um programa para renomear arquivos em sequência.

A busca faz o mesmo que o Spotlight, mas, depois de feita uma busca, você pode dizer se quer no computador inteiro ou só na pasta que você estava e ainda pode salvar suas buscas – elas ficarão em Smart Folders que podem ser colocadas na parte busca dos itens de acesso rápido.

Busca por “ARM” na pasta POLI

Busca por “ARM” na pasta POLI

Na Bara Lateral você pode (e deve) colocar os diretórios que mais usa, arrastando e soltando. Esses diretórios estarão à sua disposição em todo diálogo de salvar de todo programa que usa a interface do OS X, facilitando bastante sua vida – programas que usam X11 e Java nem sempre conseguem usar isso.

Para tirar um diretório de lá, clique nele com o botão direito e em Remover da Barra Lateral, ou, ainda, pode arrastá-lo para fora… poof!

Alternar programas e janelas

Existem algumas formas de trocar entre programas em execução, usando o ícone do programa no dock (nunca uso), com CMD+TAB / CMD+~ e com o Exposé.

Pressionando CMD+TAB, surge na tela o application switcher e você pode escolher qual programa executar apenas com o teclado. Usando CMD+TAB para ir para o próximo (à direita) programa e CMD+SHIFT+TAB ou CMD+~ para ir para o anterior.

Estando no programa escolhido, você pode ainda se deparar com o fato de que a janela em primeiro não é a que você queria. Basta usar CMD+~ para alterar entre as janelas do mesmo programa – sei lá porque diabos, nem todo programa funciona corretamente.

A outra forma é usando o Exposé. Se você está seguindo esse tutorial, deve ter apertado F3 para ver o que acontece. A função do F3 é uma das formas do Exposé funcionar, existem outras duas ainda: mostrar as janelas do programa atual e mostrar o desktop. No Snow Leopard, isso vai melhorar ainda mais, mas como ele só sai daqui a dois dias, não tenho um para explicar detalhadamente.

Indo nas preferências do sistema (CMD+ESPAÇO e pref), vá em Exposé e Spaces – sim, é uma misturéba de português e inglês inacreditável!

Está aqui ó!!!

Está aqui ó!!!

Essa é a maneira que deixo as coisas por aqui. É uma questão de ir testando e ver de que forma você se adapta melhor. Minha configuração é para mouse, já que tenho um desktop. Seria legal um adendo de algum usuário dos novos notebooks com multitouch.

Opções do Exposé e do Spaces (que eu não consigo usar, apesar de acreditar no meu chefe)

Opções do Exposé e do Spaces (que eu não consigo usar, apesar de acreditar no meu chefe)

Brinque um pouco com isso e veja o que cada um faz, escolha a configuração que mais te agrade. Eu, particularmente, nunca ativo o Exposé pelo teclado, sempre pelo mouse ou pelos cantos da tela.

Ejetando discos e pen drives

Cade o “remover hardware com segurança” dessa joça? Não tem!

No caso de CDs ou DVDs, basta pressionar a tecla ao lado do F12 e ele ejeta.

Para pen drives, arraste-o para a lixeira. Repare que assim que você começa arrastá-lo, o ícone muda para um eject.

Lixeira mutante

Lixeira mutante

Fechar janela ≠ fechar programa

Acostume-se com e, como a maioria dos usuários de Mac, aprecie o fato de que fechar a janela de um programa não fecha o programa. Isso pode parecer imbecil e anti produtivo, mas não é.

Testando entre vários clientes de Twitter, achei um que me agradou bastante, mas ele fechava o programa quando eu fechava a janela e isso pra mim é insuportável! Não quero ter que minimizar um programa pra sumir com ele da minha frente.

Então, para fechar uma janela, aperte CMD+W. Para fechar um programa, CMD+Q.

Há ainda a possibilidade de “esconder” um programa, usando CMD+H ou segurando OPTION e clicando em outro programa.

Finalmente, para minimizar um programa, use CMD+M.

Widgets

Widgets são “mini programas” que rodam em background. Desde mostrar (e copiar para o iTunes) a letra de uma música (ou não, se depender da RIAA), fazer conversões de valores e unidades de medidas, fazer contas etc.

Pretendo fazer um outro MegaMini tutorial sobre Widgets que acho interessantes, então estou apenas citando que isso é uma coisa que pode te ajudar na produtividade com seu Mac.

Ícones

Uma coisa aparentemente imbecil, mas que ajuda na organização é utilização de ícones personalizados. Ajuda, na hora de selecionar, por exemplo, o diretório da POLI, se ele for diferente do resto. Para isso, ou crie seus ícones ou baixe em sites especializados – é só procurar por “OS X icons” ou perguntar pra mim bons sites disso.

Selecione a pasta com o ícone que você quer usar e use o comando CMD+OPTION+I, isso abrirá as Informações da pasta selecionada. Clique no ícone e pressione CMD+C para copiar. Vá na pasta que você quer passar (a janela com as informações usando CMD+OPTION+I automaticamente mostra informações da selecionada, para mostrar “fixamente” só de uma por vez, use CMD+I), clique no ícone e cole com CMD+V.

Pasta POLI com ícone personalizado

Pasta POLI com ícone personalizado

Você pode baixar esse ícone (e um que fiz antes desse) pronto pra usar no OSX. Tem uma versão .ico pra Windows tb no arquivo.

Etiquetas

Outra aparente besteira que ajuda na organização. Clique em qualquer pasta ou arquivo e Etiquetas estará lá, na sua cara. Escolha uma cor para cada tipo de coisa.

Escolha a sua!

Escolha a sua!

Uso, por exemplo da seguinte forma: se estou fazendo um trabalho para a Poli, lendo várias referências ao mesmo tempo, quero ter um controle de qual já lí totalmente, qual não lí e qual estou lendo. Uso etiquetas para sinalizar isso.

Pasta da POLI na reta final!

Pasta da POLI na reta final!

Pros nerds de plantão, vale citar que as etiquetas fazem parte do File System do Mac OS X (HFS+) e “gastam” 3 bits para isso.

Outra curiosidade, é que as etiquetas existiam no Mac OS 9, mas não na primeira versão do Mac OS X e digo, fazia falta e acabou voltando.

Janelas, pastas e tudo mais

Rapidamente, algumas outras teclas de atalho que uso bastante no Finder:

CMD+N – abre uma nova janela
CMD+W – fecha a janela
CMD+SHIFT+N – cria uma nova pasta
RETURN – quando tiver um arquivo ou pasta selecionado, para renomear arquivo
CMD+O ou CMD+baixo – abre o arquivo ou pasta
CMD+cima – sobe um nível de diretório
CMD+DELETE – apagar o(s) arquivo(s) selecionado(s)
CMD+SHIFT+DELETE – limpar a lixeira
CMD+OPTION+ESC – para forçar encerrar um aplicativo (A.K.A. CONTROL ALT DEL do Mac)
CONTROL+EJECT – opções de desligamento do computador

Isso finaliza esse MegaMini tutorial sobre produtividade, e com Exposé, Widgets e Spotlight, explica porque  Mac + OS X é considerada, por muitos, a combinação com o melhor custo benefício em termos de produtividade.

Preview em uma “barrada”

Uma das coisas mais fodas surgidas no Leopard foi a introdução do Quick Look. Selecionando qualquer arquivo e pressionando a barra de espaço, você tem um preview instantâneo do arquivo, sem precisar abrir nenhum programa!

O OS X já vem com possibilidade de preview para diversos formatos de arquivos (como vídeos e imagens) e ainda possibilita que você instale plugins para visualização de outros formatos arquivos. Para isso , basta baixar os plugins em sites como os da lista (gentilmente cedida, sem autorização por Filipe M. S. de Campos) abaixo:

QLPlugins
QuickLook Plugins List
Mac Tricks and Tips
Usingmac.com
Macworld

Depois de baixados, basta copiar os arquivos com extensão .qlgenerator para a pasta /Biblioteca/QuickLook.

Alguns plugins que tenho instalados em casa

Alguns plugins que tenho instalados em casa

Um exemplo, de um plugin que instalei, é um que mostra o conteúdo de arquivos comprimidos.

Quick Look de um .zip em ação!

Quick Look de um .zip em ação!

Organização da visualização por colunas

Um pouco acima, disse que a visualização por colunas é a mais prática de navegar, mas deixei de fora algumas dicas importantes.

Que você pode alterar a largura de cada coluna individualmente, bastando arrastar os “dois tracinhos” que ficam na parte de baixo dela, ou ainda, segurando OPTION, fazer com que todas mudem sua largura ao mesmo tempo.

Se você for no Finder agora, abrir uma nova janela (CMD+N), alterar seu tamanho, posição e largura das colunas e fechá-la, sempre que abrir uma nova ela estará desse mesmo jeito. Faço isso então pra deixar no lugar que quero, sem scrooll horizontal e com colunas de largura suficiente para dar para ler o nome da maioria dos arquivos e para que caibam um determinado número de colunas.

Minha “janela padrão”

Minha “janela padrão”

Outra coisa interessante é alterar como as colunas (ou, se prefere outro tipo de visualização) são organizadas. Para isso, vá em uma janela qualquer (ou ainda no desktop) e pressione CMD+J para ver as opções de visualização.

Opções de visualização de uma pasta visualizada por colunas

Opções de visualização de uma pasta visualizada por colunas

Opções de visualização do desktop

Opções de visualização do desktop

Preferências

No OS X, além de você ter a barra de aplicativos fixa lá em cima, algo que um usuário vindo de outros SOs geralmente estranha, acaba sendo uma facilidade: você sempre sabe onde encontrar as coisas.

Um exemplo são as preferências dos programas. Em outros SOs as preferências de um programa podem estar em Arquivo, Opções, Ajuda etc. No OS X, as preferências estarão, em 99% dos casos no mesmo lugar, com a mesma tecla de atalho. Não afirmo que todos programas seguem a regra, porque existem casos em que as pessoas gostam de fugir do padrão e inclusive de ignorar que o OS X tem uma barra fixa – sim, Cinema 4D, é com você que eu estou falando.

Cinema 4D não sabe brincar!

Cinema 4D não sabe brincar!

Tirando as exceções, a regra é a seguinte: preferências ficam no menu com o nome do programa (o primeiro depois do Apple Menu) e podem ser acessadas com CMD+, .

Menu Firefox do Firefox

Menu Firefox do Firefox

O Finder, por exemplo, tem várias opções que valem dar uma olhada, como que tipos de mídias devem aparecer no desktop e na barra lateral, o nome das etiquetas e como deve se comportar a navegação com o mouse.

Preferências do Finder

Preferências do Finder

Navegando com o mouse

Esses dias, um novo usuário de OS X perguntou sobre o uso do CMD+X no Finder e, não, isso “non exsiste“. Sei lá porque, nunca foi implementado a opção de recortar e colar arquivos e diretórios no Finder. Por outro lado, existe uma forma muito fácil e ágil de se mover / copiar / criar atalhos no OS X.

Se uma imagem vale mais que mil palavras, um vídeo vale mais que 1000 imagens:

Nesse vídeo, demonstrei como você pode ir navegando pelas pastas apenas deixando o mouse em cima do lugar que quer “entrar”. Mosrei também que, segurando por algum tempo o ícone da pasta ou arquivo que aparece no centro das janelas do Finder, você consegue movê-los.

Mostrar conteúdo do pacote? WTF!!!

Faça um teste: Clique em qualquer programa que está no seu dock enquanto segura CMD. Isso te levará para o lugar onde o programa está salvo. Agora clique com o botão direito nele e selecione Mostrar Conteúdo do Pacote.

Pacote?

Sim, no OS X, o que você acredita ser um programa é, na verdade, um pacotão de coisas, desde preferências, imagens, ícones, tudo está nesse pacote com extensão “.app”.

Isso é uma maneira de, por exemplo, fuçar em programas, salvar ícones dos programas e até alterar certas configurações e imagens. Não sei se tem muito a ver com “produtividade”, mas, não sei onde encaixar essa “curiosidade”, então foi aqui mesmo.

Parando tudo

Outro atalho de teclado que funciona na maioria dos programas é o CMD+.

Esse atalho interrompe o que quer que o programa esteja fazendo, desde abrir um arquivo até carregar uma página no browser.

Tirando fotos

Esse tem a ver, inclusive com esses tutoriais “ilustrados”. Tirar fotos no OS X não é tão “fácil” quanto em outros SOs que usam o botão “PrintScreen” do teclado. Primeiro, porque teclados de Macs não tem esse botão, segundo… não tem segundo.

Existem três formas de se tirar uma foto: da tela inteira, de uma região selecionada ou de uma janela / menu. E ainda mais, a opção de salvar a imagem diretamente ou apenas deixá-la na área de transferência.

Para capturar a tela inteira, basta pressionar CMD+SHIFT+3.

De uma região, CMD+SHIFT+4 e selecione a região com o mouse e pronto.

E, para tirar de uma janela (o que inclui sua sombra), depois de pressionar CMD+SHIFT+4, pressione a BARRA DE ESPAÇO. A “cruz” vai virar uma “mão”. Posicione-a na janela que desejar (ela fica azulada) e clique com o mouse.

Dessa maneira, PNGs serão salvos no desktop. Para apenas deixar na área de transferência, junto com CMD+SHIFT, pressione o CTRL.

Pastas e pilhas nas docas

Outra coisa legal que surgiu no Leopard, foram os stacks no Dock. Se você arrastar uma pasta para o Dock, você poderá ver seu conteúdo sem precisar a abrir a pasta.

Pilha da Poli nas minhas docas. Traduções me dão medo!

Pilha da Poli nas minhas docas. Algumas traduções me dão medo, que bom que a Apple não traduziu isso!

Lindo, mas cadê o botão de maximizar dessa joça?

Não tem, porque você não precisa dele!

Acostume-se a poder ver todos os programas rodando ao mesmo tempo. É estranho no começo, mas depois que você se acostuma (ok, pode ser que você sempre ache isso uma droga) passa a ser natural não maximizar os programas. Até existem programinhas que fazem esse papel, mas recomendo que antes de tudo, tente viver um tempo sem isso…

Dormindo e desligando o Mac

Tudo muito bom, fez tudo que queria e agora quer desligar seu Mac.

Em primeiro lugar, isso é uma coisa que você precisa fazer raramente. Macs possuem um ótimo gerenciamento de energia quando estão “dormindo” e um ótimo gerenciamento de energia que faz seu computador não virar uma carroça depois de alguns dias de uso. Assim, você pode deixar seu Mac alternando entre “acordado” e “dormindo” por meses, sabendo que está utilizando bem sua máquina.

De qualquer forma, para colocá-lo em sleep, ou desligá-lo, vá no Apple Menu e clique qualquer uma das opções.

Apple Menu e as opcoes para desligar ou dormir seu mac

Apple Menu e as opcoes para desligar ou dormir seu mac

Se apertar OPTION enquanto o menu é mostrado, verá que as reticências somem, isso é, ele não vai confirmar a ação.

Além disso, apertando CONTROL + EJECT, você faz surgir o seguinte menu na sua tela.

Menu para desligar seu Mac

Menu para desligar seu Mac

Outra opção ainda, é dar uma “leve dedada” no botão de ligar do seu Mac. Eu disse LEVE! Isso o levará para o estado de sleep.

Se você der uma “dedada” e ficar segurando, ele vai ser desligado por hardware. Nada será salvo e merdas podem acontecer. Não faça isso, a não ser que tudo tenha dado errado!

VN:F [1.9.11_1134]
Rating: 5.0/5 (5 votes cast)
MegaMini tutorial para Mac newbies – produtividade, 5.0 out of 5 based on 5 ratings
Related Posts with Thumbnails

Eduardo Russo
Eduardo Russo

Formado em Engenharia de Computação pela Poli (2010) e em Design pela Belas Artes (2001), cofundador do Bit a Bit, fundador do Tubelivery e do Faviconit, cofundador da Fábrica de Aplicativos e coordenador de produto do Scup.

Tags: , , , , ,

7 Comentários para “MegaMini tutorial para Mac newbies – produtividade”

  1. mococa

    uma coisa que facilitou muito minha vida no Ubuntu foi o GnomeDo, me melhorou muito minha produtividade sem precisar usar os atalhos malucos da vida (alias, segure CTRL e digite `reisub` no Ubuntu :)
    obviamente nem se compara com o MacOS X :)

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: 0 (from 0 votes)
    #57
  2. mococa

    errata: segure PRINT-SCREEN e digite ‘reisub’

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: 0 (from 0 votes)
    #58
  3. Bruno Toshyaki Maeda

    o próximo será de como aumentar a produtividade no MINIX 3… \o/
    muito bom russo… vlw… (apesar de eu não ser um Mac-user)

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: +2 (from 2 votes)
    #59
  4. Fabiano

    Mto bom! Como um MacNoob, acho esses tutoriais uma mao na roda!
    Podem colocar mais! =]

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: +2 (from 2 votes)
    #60
  5. Kelly

    =) Gostei muito! Quando fiz a transição “Windows – Mac” esse site me ajudou bastante! Obrigada e parabéns!

    Agora, eu tenho uma dúvida… Há problemas de travamento ? (tipo de cds, etc)?

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: 0 (from 0 votes)
    #179
  6. Manuel

    É mais caro! Não troco por nada. Desde 1990. Duram muito. Muitos anos de alegria no trabalho! Fora a tranquilidade, facilidade amigabilidade, é tipo um amigão. Não fala mal de ninguém.
    Russo mostre pro povo aí como usar o Terminal.

    VA:F [1.9.11_1134]
    Rating: 0 (from 0 votes)
    #1203

Deixe um Comentário

Spam Protection by WP-SpamFree

Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes